10 dicas para viajar sozinho

Categorias: Dicas, Viagens

Todo mundo pode passar – ou já passou – por uma situação em que quer muito conhecer um lugar, ou então achou aquela promoção maravilhosa de passagens que simplesmente não dá pra perder, mas tem ninguém pra viajar com você. É natural que bata aquele medo de viajar sozinho, seja pelo simples receio de não ser tão divertido ou pela possibilidade de passar por algum aperto sem ninguém conhecido por perto.

Além de ser uma aventura, viajar sozinho é uma oportunidade ótima para o auto-conhecimento, crescimento e para arriscar-se a fazer o que sempre teve vontade de fazer. Então se você está com aquela viagem ali, martelando no fundo da sua cabeça, dá uma lida nessas dicas para achar a coragem que falta para torna-la realidade!

  • 1) Pesquise

Pode parecer bobo falar isso, mas a pesquisa é a parte essencial da viagem e não deve ser feita de maneira superficial. Mais que conceitos básicos sobre o país, idioma, moeda e hotéis, pesquise sobre os locais legais para turismo, sobre as principais linhas de transporte, comida, vestimenta, taxa de criminalidade, recepção com estrangeiros, entre outros. Não seja mochileiro de Lonely Planet e procurem fontes variadas. Informação nunca é demais.

É interessante também pesquisar sobre o clima local. Lugares como por exemplo o sudeste asiático tem forte influência das monções e a viagem pode não ser tão proveitosa se você for durante a estação chuvosa (Maio/Junho a Outubro). Se você tem vontade de subir o monte Fuji durante sua visita ao Japão, você precisa ir no período entre Julho e início, pois no restante do tempo ele fica fechado para visitação ou aberto apenas para alpinistas experientes devido às baixas temperaturas, vento e acumulo de neve. Fatores desse tipo, se não verificados com antecedência, podem estragar a viagem então fique atento!

  • 2) Não subestime as reviews de sites e aplicativos

Saiba sempre ouvir o que as pessoas têm a dizer. Quem nunca se arrependeu de não ter dado bola pra aquele conselho de mãe? Pois é.

O que não faltam por aí são blogs, sites e aplicativos que ofereçam avaliações e reviews sobre diversos estabelecimentos (hotéis, restaurantes, etc) e também que contem como foram suas experiências em determinadas situações. Mas também não acredite na primeira coisa que ver por aí! Saiba pesquisar e verifique diversas fontes e opiniões antes de tomar uma decisão!

  • 3) Planeje seus gastos

Muitos desses mesmos sites que eu citei aí em cima também oferecem informações mais detalhadas, entre elas preços ($$). Se possível tente pensar em todos os gastos que sua viagem terá, desde hotéis, alimentação, transporte até o entretenimento e coloque tudo numa planilha. Se já tiver um cronograma das atividades que realizará em cada um dos dias, é legal já tentar estimar também quanto vai gastar em cada um deles, assim você consegue ter um controle melhor do seu dinheiro e saberá se gastou demais ou se sobrou um pouquinho pra fazer um rolê extra.

  • 4) Imprima todos os comprovantes

Imprima todos os comprovantes de reserva online. Hotel, passagens, restaurantes, passeios: junte tudo em uma pastinha e leve na sua bagagem de mão para ter acesso fácil em qualquer dificuldade. No caso dos hotéis é legal também imprimir um mapinha com a localização para ajudar na hora de passar o endereço para taxistas, principalmente quando você não domina o idioma local.

  • 5) Avise sobre seu cronograma

É muito importante manter pelo menos uma pessoa informada do seus planos. Alguém que saiba qual o período de tempo que vai ficar fora, quais os horários dos seus vôos, se você já embarcou/desembarcou … Isso numa emergência pode fazer toda a diferença! (Já assistiram 127 horas?? Extremo, eu sei, mas é um ótimo exemplo.)

  • 6) Estude palavras-chave para conseguir se virar

Nunca adie seu sonho de conhecer algum lugar apenas porque não domina o idioma. Na base da mimica dá pra fazer muita coisa (sério!), mas se for possível é sempre legal dar uma olhadinha em palavras-chave como “obrigada”, “ajuda” ou “onde fica o banheiro?” para facilitar um pouquinho a vida. A Publifolha tem uma coleção de bolso muito legal chamada Guias de Conversação para Viagens, em diversos idiomas, que pode ajudar bastante nesse quesito!

  • 7) Informe-se sobre a cultura local

Alguns países tem culturas muito similares, principalmente se tratando de países ocidentais. Mas se você se arriscar para lugares não tão comuns como África, Oriente Médio ou Ásia a história é um diferente.

Procure sempre saber os costumes da região que visitará. Você não vai na casa do seu amigo e sai por aí fazendo o que bem entende a menos que ele esteja ok com isso. Então veja qual é a cultura da região, se existe algum tipo de comportamento que não é bem vindo ou então limitação com trajes, entre outros. Nos países do sudeste asiático não se deve tocar as crianças na cabeça, por exemplo. É proibido entrar em templos com os ombros e pernas de fora e tambén não se deve sentar com os pés apontados para a imagem de Buda. No Japão eles não se sentem muito confortáveis com contato físico, até mesmo apertos de mão, e também com pessoas falando no celular no metrô. Enfim, cada lugar tem seu costume, sua cultura e seus detalhes, portanto informe-se!

  • 8) Converse com os recepcionistas

Já parou pra pensar em quantas pessoas um recepcionista de hotel já viu passarem por ali? Quantas opiniões, dicas e histórias cabulosas eles podem ter pra contar? Então – se a barreira do idioma permitir – tente conversar com o recepcionista do seu hotel/hostel, pergunte pra ele se ele recomenda algum lugar, ou se ele ouviu falar bem de algum serviço que você está pensando em contratar. Fui salva uma vez por uma recepcionista que me avisou que o preço que o motorista queria me cobrar pelo passeio do dia seguinte estava abusivo (coisa de $40 quando na verdade era pra ser $3).

  • 9) Tenha cara-de-pau para perguntar

Se ficou na dúvida, está confuso ou perdido: não fique sofrendo sozinho e pergunte! Se não souber o idioma, como já comentei antes, a mimica faz milagres! Além da galera do hotel, pessoas como policiais ou balconistas de lanchonetes e bilheterias de meios de transporte, que normalmente estão acostumadas a lidar com turistas, são ótimas opções!

  • 10) Arrisque

Não existe uma fórmula mágica. Todas as leituras, reviews e dicas do mundo podem te ajudar a ter mais clareza para enxergar as coisas e tomar decisões mas tem algumas coisas que você só vai descobrir se arriscar. Tenha a coragem de desbravar um pouco sozinho. Se ficou na duvida mas tem aquela intuiçãozinha te dizendo para seguir em frente: vá! Mas, é claro, sempre com cautela e a responsabilidade.

Um pouco mais confiantes agora? Conte pra mim qual seu destino e seus planos!  🙂

, , , .
31 de março de 2017, por Marisa Killer

Marisa Killer Futura engenheira civil, anime freak, apaixonada por livros, desenhar e com gosto especial por coisas estranhas.

Curta no Facebook

Colaboradores

Cathy Entusiasta em tempo integral, mestranda em engenharia biomédica quando dá e com gosto especial por perturbar a Marisa.
混乱の皇后に俺はなる! (๑>◡<๑)